Compartilhar no WhatsApp

Em abril tem o IV Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental

Eventos

Debates, residência crítica e masterclasses completam a intensa programação de mostras competitivas internacionais e mostras especiais não competitivas, de 12 a 21 de abril, no Cinema Lumière do Banana Shopping

A programação do IV Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental, além dos 98 filmes de 26 países distribuídos em mostras internacionais competitivas e mostras especiais não competitivas, contempla ações de formação, como debates, masterclasses e a quarta edição da residência Estado Crítico. As atividades estão distribuídas entre os dias 12 e 21 de abril de 2018, no Cinema Lumière do Banana Shopping, no Centro de Goiânia. Os ingressos podem ser adquiridos a R$8 inteira, R$ 4 meia e R$ 70 o passaporte para todas as sessões.

 

O festival é realizado pela Barroca Filmes, com recursos do Fundo Nacional da Cultura, apresentação da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, Seduce e Governo de Goiás, e patrocínio da rede Cinemas Lumière.

 

Formação

Dentro das ações de formação do IV Fronteira, acontecem as materclasses com o pesquisador italiano Adriano Aprà sobre a obra de Roberto Rossellini (14 e 15 de abril, sábado e domingo, das 9 às 12h) e com o realizador e preservador audiovisual canadense Stephen Broomer sobre a própria obra (16 de abril, segunda, das 9h às 12h). As masterclasses acontecem no Cinema Lumière do Banana Shopping, sede do festival.

 

Debates

A programação traz debates sobre questões urgentes de linguagem e contexto político-histórico pertinentes ao cinema contemporâneo.

 

No domingo, 15 de abril

após a sessão da Mostra Especial: Às Primaveras que Virão (16h), os realizadores e pesquisadores Marcelo Soldan, Mateus Ferreira e Tatiana Leal debatem sobre os filmes exibidos, que revelam a desobediência e os questionamentos, em linguagem e postura política, de cineastas-cidadãos em busca de um mundo diferente.

Na quarta-feira, 18 de abril

após a Mostra Especial: Experimentos da Diáspora Africana (14h20), os professores, pesquisadores e realizadores Ádria Borges, Rei Souza, Ceiça Ferreira e Amaranta César debatem sobre o conjunto de poéticas pós-coloniais dos negros sobre si, suas imagens e o mundo, exibido na sessão.

No sábado, 21 de abril

após a Mostra Especial Cadmo e o Dragão, os realizadores e representantes goianos dos filmes exibidos na sessão, Larry Sullivan, Daniel Nolasco, Rafael de Almeida, Lucas Matheus e Silvana Belini, debatem sobre suas produções e sobre o fazer cinema de invenção no estado.

 

Mesa-redonda

Na terça, 17 de abril

O IV Fronteira discute a importância da preservação audiovisual na mesa Memória e Preservação, das 14 às 15h30, no Teatro Sonhus do Espaço Sonhus, com a participação dos preservadores e realizadores audiovisuais Hernani Heffner (Brasil), Stephen Broomer (Canadá) e Sami Van Ingen (Finlândia) e mediação do professor de cinema do IFG Renato Naves Prado.

 

Estado Crítico

De 17 a 20 de abril, das 9 às 12h, no Cine Sonhus do Espaço Sonhus, o festival promove a Estado Crítico: Residência de Crítica de Cinema, com os críticos e curadores Ela Bittencourt e Victor Guimarães e a participação de 12 críticos residentes.

 

Mostras competitivas internacionais

Os oito longas e 18 curtas-metragens de 20 países integrantes das mostras competitivas concorrem aos prêmios de Melhor Filme e Prêmio Especial do Júri em cada categoria. O júri oficial é composto pela professora e pesquisadora de cinema da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, Amaranta César; pelo cineasta canadense Stephen Broomer; e pelo conservador-chefe da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Hernani Heffner.

O festival prevê ainda participação de um júri jovem, composto por quatro estudantes de Cinema e Audiovisual do Instituto Federal Goiano e da Universidade Estadual de Goiás. Os estudantes também concedem prêmios aos melhores filmes. Também serão premiados os melhores curta e longa segundo o júri popular do festival.

 

Mostras especiais

Além das competitivas de curtas e longas-metragens, o festival prevê mostras especiais não competitivas, com comentários de realizadores, professores e críticos de cinema. São elas: Atualidade Rossellini, Cineastas na Fronteira – Lee Anne Schmitt + Stephen Broomer, Cadmo e o Dragão, Às Primaveras que Virão, Experimentos da Diáspora Africana, Visões da Destruição, Exibições especiais e Sessão especial com acompanhamento ao vivo da Onomatorquestra, além das sessões de abertura e encerramento do festival.

 

Abertura e encerramento

A sessão de abertura, dia 12 de abril, às 20h, conta com a exibição de 165708, curta de Josephine Massarella (Canadá, 2017), e Djamilia, Aminatou Echard (França, 2018, 84’), com a presença da realizadora francesa.

O festival se encerra com o longa Arruína Teu Reino (Ruinas tu Reino), de Pablo Escoto (México, 2016), às 21h de 21 de abril.

 

Acessibilidade

Após o festival, o filme Diários de Classe, de Maria Carolina e Igor Sousa (Brasil, 2017, 72 min), permanece em cartaz no domingo, 22 de abril, com sessões especiais às 15 (com legendas descritivas), 17 (com audiodescrição) e 19h (com libras).

 

Se interessou no evento? Então acesse aqui para ver a programação completa!









Receba novidades


Gostou do conteúdo e deseja receber mais novidades do site? Preencha o formulário abaixo: