Stan Lee acenando
Compartilhar no WhatsApp

A Marvel e o super Stan Lee

Notícia

A vida é como um filme de terror, desses com final trágico. E é com ar trágico que este texto se inicia.

 

Hoje milhares de hashtags “RIP” vão invadir as timelines e noticiários do mundo, porque o grande Stan Lee nos deixou algumas horas atrás. Isso mesmo morre aos 95 anos, Stanley Martin Lieber (ou para os íntimos, vulgos seus fãs, Stan Lee). Nascido em Nova York, nos Estados Unidos, o editor, roteirista e também ator (nas horas vagas… rsrs), da Marvel Comics começou cedo a sua carreira.

Aos 17 anos, ele já havia criado o Capitão América. E não parou por aí, também foi criador de outros personagens que amamos. O Incrível Hulk, o Homem de Ferro, Thor, o Demolidor, Dr. Estranho, Pantera Negra, foram algumas de suas criações, e com a participação de Steve Ditko, ele criou o queridinho Homem-Aranha. Lee também criou a turma do X-man, com Bill Everett. Ele foi também editor-chefe da Marvel, sendo que grande parte da popularidade da Marvel, se deve a ele, sempre carismático, e que apareceu em diversas fotos com as suas criações.

Stan lee e o Homem Aranha

Entretanto, Stan Lee nem sempre teve essa fama. Ele chegou a trabalhar como entregador de sanduíches na adolescência para ajudar a sua família. Nascido de uma família bem pobre, o editor-mor da Marvel precisou trabalhar desde cedo e mostrar os seus talentos para alcançar uma posição de sucesso. Tarefa que ele realizou com louvor, conquistando fãs por todo o mundo. Em 1981, os seus super heróis viraram desenhos animados e se espalharam pelas emissoras de TV do mundo. Em 1986, Lee viu seus personagens ganharem séries e também filmes.

 

Mas infelizmente no dia 12 de Novembro de 2018, ele morre nos EUA, com vários problemas, entre eles, pneumonia, doenças nos olhos, além da idade já bem avançada, o que não o impediu de fazer sua última aparição em um filme. Estamos falando do final de “Venom” (2018), onde Stan Lee aparece rapidamente para o jornalista Eddie Brock/ Venom, deixando subentendido que ele sabe que Eddie ainda está com o Simbionte dentro dele. E foram inúmeras as suas aparições em filmes onde seus personagens brilharam.

 

 

O legado que Stan Lee deixa é enorme e extremamente representativo

 

Ele inovou com seus personagens de quadrinhos que não são apenas desenhos, mas símbolos, “signos” ideológicos, que carregam significados importantíssimos para a história da sociedade. Cada personagem que ele deixa tem muito em comum com os dramas que vivemos sobre a terra, sobre as dores, sobre os questionamentos, sobre o senso de responsabilidade, sobre o amor, sobre o poder do livre-arbítrio, entre outros aspectos tão peculiares à vida humana.

“Eu costumava ficar envergonhado porque eu era apenas um escritor de quadrinhos enquanto outras pessoas construíram pontes ou iam para carreiras médicas. E depois comecei a entender: o entretenimento é uma das coisas mais importantes na vida das pessoas. Sem isso eles podem parar no fundo do poço. Eu sinto que se você é capaz de entreter as pessoas, você está fazendo algo de bom”

disse Stan Lee.

 

E você, concorda que o entretenimento também serve para ensinar?

#RIPLee

 

Por Michele Souza









Gostou deste conteúdo?


Preencha seu Nome e E-mail abaixo para receber mais novidades do site

     




     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.