Cena do filme "Os Suspeitos" um homem e uma criança comendo à mesa
Compartilhar no WhatsApp

Por que a vida é cheia de mistério?

Colunas

Que a vida humana é cheia de mistério ninguém pode negar, até porque a própria história do surgimento do universo é um grande mistério. E ver grandes mistérios criados pela indústria cinematográfica é sensacional. E é sobre esses mistérios do cinema que vim falar com você.

 

Uma das produções cheia de mistério é o filme “Os suspeitos”, do diretor canadense Denis Villeneuve, lançado em 2013. O filme é fictício, mas o “qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência” pode ser analisado, já que não é incomum ver casos de polícia envolvendo crianças.

O filme “Os suspeitos” retrata a história de um pai de família, Keller Dove (Hugh Jackman), que tem sua filha de seis anos sequestrada com uma amiga, e não aguenta ver todas as possibilidades da polícia se esgotarem e nem o “principal” suspeito ser solto por falta de provas concretas. Keller decide então fazer justiça com as próprias mãos, enfrentando até a própria polícia e o detetive responsável pela investigação, Loki (Jake Gyllenhaal).

Tudo começou quando a família de Dove, a esposa Grace (Maria Bello) e os filhos Ralph (Dylan Minnette) e Anna (Erin Gerasimovich), vão passar uma noite agradável na casa dos Franklin (Terrence Howard) e Nancy Birch (Viola Davis), que também tem uma filha pequena, Joy (Kyla Drew Simmons). As duas desaparecem e deixam suas famílias preocupadas e o caso vai parar na polícia.

O principal suspeito é Alex (Paul Dano), que possui um QI de uma criança de 10 anos apesar dos seus 26 anos. Após um interrogatório sem sucesso, ele é solto, o que causa muita revolta em Dove, que tem certeza que ele está envolvido ou sabe de algo que não quer falar. Keller então resolve sequestrar Alex para obter informações e para isso, ele começa a torturá-lo.

Só que a cada cena um novo mistério vai aparecendo, mas as soluções não. Até que tudo muda e o detetive e Keller conseguem descobrir algumas coisas importantes. Mas o final você só descobrirá se assistir. Mas uma coisa é certa: o longa é de tirar o fôlego, além de deixar ótimas lições para a reflexão dos telespectadores.

A vida é sim um mistério, mas um mistério que deve ser desvendado dia após dia e com muito equilíbrio e sabedoria.

 

Por Michele Souza









Gostou deste conteúdo?


Preencha seu Nome e E-mail abaixo para receber mais novidades do site

 




 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *